Blog


Mundo das franquias
Carolina Dall'Olio conta tudo sobre o assunto.
Twitter Facebook Orkut
Aumentar texto Diminuir texto

SMZTO lançará primeira franquia de buffet infantil

23 de fevereiro de 2012

A SMZTO Participações, holding que coordena o desenvolvimento de empresas franqueadoras em diversos setores, promete lançar em março uma rede de franquias de buffets infantis. A iniciativa será pioneira – não há nenhum negócio do gênero registrado na Associação Brasileira de Franchising (ABF).

A SMZTO ainda não informa o nome da empresa. Mas dá uma pista: a marca será lançada em parceria com uma famosa apresentadora de programas infantis.

“O mercado de festas está crescendo e ainda apresenta muitas oportunidades”, afirma Marcelo Toledo, diretor de expansão da SMZTO. “Projetamos uma expansão rápida porque ainda não há uma rede de franquias neste ramo.” A marca, assim como as demais franquias da SMZTO, terá como foco a classe C.

A SMZTO é comandada pelo empresário José Carlos Semenzato, criador da rede Microlins. Atualmente, a holding responde pela administração das marcas Instituto Embelleze, Casa do Sorvete Jundiá, Donna’s Cozinha Criativa, L’Entrecôte de Paris, Mixirica, OdontoCompany e Praquemarido.

De corretor a dono de imobiliária

3 de agosto de 2011

O mercado imobiliário tem apresentado vendas crescentes e bons lucros para quem trabalha no ramo. Ao longo de 2010 foram lançadas cerca de 37 mil unidades só na capital paulista.  E os lançamentos seguem em alta este ano, o que aumenta também o número de imóveis usados comercializados ­– já que muita gente vende um apartamento velho para comprar o novo.

O empreendedor interessado em aproveitar o crescimento do mercado imobiliário pode achar boas opções no mercado de franquias.  Na Associação Brasileira de Franchising, é possível encontrar ao menos cinco grandes redes imobiliárias: Auxiliadora Predial, Century 21, Franquia Imóveis, REMAX e Rede Morar. Juntas, elas possuem quase 150 unidades.

São todas muito recentes no Franchising brasileiro: as redes mais “antigas” adotaram o sistema de franquias apenas em 2007 no País. Duas delas – a REMAX e a Century 21 – são originárias dos Estados Unidos, onde as franquias imobiliárias são muito populares. Por lá, é comum que os corretores não sejam funcionários, mas sim franqueados da rede.

Por aqui, quem quiser se tornar dono de uma franquia imobiliária precisa ter apenas R$ 25 mil no bolso. É o valor cobrado pela REMAX, que estima o retorno do investimento em até 24 meses.

Incubadora de franquias

28 de julho de 2011

O Brasil tem cerca de 500 incubadoras de empresas, segundo o Sebrae. São espaços em que negócios recém-nascidos recebem diversos tipos de apoio (em gestão, marketing, capacitação, etc), até que estejam mais fortes para disputar espaço no mercado. A novidade é que agora, graças a uma parceria do Sebrae com a Associação Brasileira de Franchising (ABF), o País passa a ter uma incubadora de franquias.

Por enquanto, a iniciativa se resume a um projeto piloto, que resultou na criação de duas redes: a clínica de estética Welness, de São José do Rio Preto e o restaurante Sobá, de Campo Grande. As empresas receberam apoio para estruturação, padronização, formatação de manuais, documentação jurídica, projeto de marketing, treinamento e tudo o que é necessário para formatar uma rede de franquias. O trabalho foi realizado com recursos do Sebrae, apoio técnico da ABF e consultoria da empresa Praxis, especializada em formatação de redes franquias.

“O objetivo da ABF é estender essa iniciativa e apoiar cada vez mais as pequenas empresas”, promete o diretor executivo da entidade, Ricardo Camargo. A expansão de negócios por meio do sistema de franchising tem se popularizado no Brasil. Uma das principais vantagens do sistema é crescer com o capital de terceiros. Em 2010, por exemplo, surgiram 280 novas redes no País.

Quem tem interesse em contar com o apoio de uma incubadora para transformar seu negócio em uma rede pode obter mais informações no site Sebrae.

Um mundo de oportunidades

15 de julho de 2011

Não é de hoje que as franquias são atrativas no Brasil. Trata-se de uma opção de negócio que permite mais segurança ao candidato ao empreendedor, afinal, há quase sempre uma grande empresa na retaguarda, garantindo o negócio.

Mas o principal atrativo das franquias, hoje, reside no crescimento de faturamento experimentado pelo setor. Com evolução na casa de dois digitos desde 2005, as franquias devem repetir neste ano os bons resultados de 2010, quando cresceram 20,4%. Para 2011, a expectativa é de que o faturamento do setor chegue a R$ 86 bilhões. As projeções são da Associação Brasileira de Franchising (ABF).

Empresários que apostam no setor não costumam se arrepender. É claro que todo sucesso em um negócio depende – muito – do esforço e dedicação do próprio empresário. Exatamente como a história de Carlos Mihara. Ele adquiriu uma franquia da escola de idiomas CNA e, em seis meses, alcançou o ponto de equilíbrio que era esperado apenas para o 18º mês. Animado, ele pensa em ampliar o negócio.

Oportunidade não vai faltar!