Blog


Blog do Empreendedor
O cotidiano de empreendedores como você
Twitter Facebook Orkut
Aumentar texto Diminuir texto

Tudo pela carne

3 de setembro de 2018

O uruguaio Rodrigo Facal, que abriu um restaurante em São Paulo

Esta é a história de Rodrigo Facal, uruguaio radicado no Brasil, torcedor fanático do Nacional, casado com a brasileira Silvia e pai de Pedro Henrique, de 2 anos. Formado chef de cozinha na conceituada Escuela de Turismo y Gastronomia del Uruguay, abriu faz um ano em São Paulo a Parrillada Fuego Celeste, restaurante de assados ao estilo típico do Uruguai. O lugar virou ponto de encontro da comunidade uruguaia, e não é difícil encontrar jogadores de futebol e artistas nas mesas.

Como você chegou ao Brasil?
Minha história com o Brasil começou quando conheci a Silvia numa noite em Santiago do Chile, há doze anos. Depois, ela foi conhecer a minha família em Montevidéu e. para formalizar mais ainda. me convidou a passar “uns dias” em São Paulo. Eu sabia que coisas boas iriam acontecer, entendia que poderia ser meu lugar no mundo, tanto pelo lado pessoal como profissional… E assim foi, fiquei em São Paulo.

De onde surgiu a ideia do Fuego Celeste?
O amor pela gastronomia e pela “parrilla” começou desde pequeno, observando minha mãe e minha avô cozinhar. Sempre tive o sonho de ter um restaurante, mas desde cedo eu sabia que para chegar até lá não seria suficiente só saber cozinhar e assar carnes, tinha que aprender a ser líder e aprender a lidar com grupos.  Quando mudei para São Paulo, trabalhei dez anos numa multinacional, onde aprendi muito e entendi a importância da empatia com todos os membros da equipe. Muitas vezes você tem os melhores profissionais com curriculum nível “Le Cordon Bleu”, mas na prática, se não estiverem motivados no dia a dia, terão “data de vencimento”, ou pior ainda, aparecerão as primeiras laranjas podres que ninguém quer.

E você decidiu empreender em vez de seguir empregado?
Caminho percorrido, chegou a hora da aventura e me desligar da empresa para afrontar o pior dos medos do empreendedor, a incerteza. Após entender as debilidades do mercado gastronômico (alguns com atendimento paupérrimo e ou preços surreais que não condizem com a qualidade do produto apresentado) e de ter realizado eventos e churrascos na casa de amigos, entendi que tinha chegado a hora de transformar toda essa experiência numa profissão. E foi assim que após várias reuniões com Douglas, Fabrício e Flávio (amigos da vida que o Brasil me proporcionou) decidimos virar sócios e abrir o Fuego Celeste com três pilares inquebráveis: atendimento diferenciado, preços justos e uma excelente qualidade de produtos.

Como se destacar no meio da concorrência de restaurantes em São Paulo?
Poderíamos descrever hoje que a ideia de Fuego Celeste é brindar uma experiência de uma típica parrillada de bairro uruguaia, pequena, informal, usamos lenha para assar as carnes e onde não vai faltar uma excelente proposta gastronômica típica junto com a decoração e o sotaque.

Primeiro apareceu a ideia do negócio ou primeiro surgiu o empreendedor?
Primeiro veio a vontade de empreender e depois o negócio, mas confesso que o meu lado empreendedor (que não conhecia) me surpreendeu positivamente. São dessas habilidades ocultas do ser humano que só quem se aventura (seja qual for a magnitude do projeto) pode descobrir.

Como é que a família participa no empreendimento, no estilo de vida?
O período de adaptação foi de aproximadamente 8 meses, entre a parrillada e a família, e não foi nada fácil. Se tivesse que resumir tudo numa palavra só seria sacrifício. Para me ver, a família tinha de ir ao restaurante. E voltar para casa significava “deitar” por umas horas… E olha lá. Hoje, com o estabelecimento estruturado posso “me dar o luxo” de voltar para casa todas as noites para desfrutar da família. Amigos e família entenderam com o tempo que a vida da gastronomia é assim, gratificante e tirana ao mesmo tempo.

Quais são os planos de futuro?
Em nível pessoal, quero desfrutar o momento do Fuego Celeste e tentar recuperar o tempo com a família. Em  nível comercial, estamos planejando a expansão onde serão filiais próprias da empresa, não franquias.

Se pudesse dar uma dica aos empreendedores que estão chegando agora, qual seria?
Paciência, perseverança e inteligência. O grande desafio a superar dos jovens empreendedores está justamente nestes três quesitos. Paciência para chegar, perseverança e inteligência para a parte mais difícil do empreendedorismo… se manter.

Qual o futuro do Brasil?
Obviamente, o Brasil não está passando por um bom momento, mas confesso que nunca me interessei muito pela política. Acredito fortemente no trabalho e no esforço das pessoas. É justamente isso que passo para meu filho.

Parrillada Fuego Celeste

Rua Joaquim Távora 1068 - Vila Mariana - SP
Tel: 11 45638999
Face: www.facebook.com/FuegoCelesteOficial/
Instagram: @fuegocelesteoficial
E-mail: contato@fuegoceleste.com.br

Ivan Primo Bornes (ivan@pastificioprimo.com.br) – empreendedor e fundador da rede de rotisserias Pastificio Primo (www.pastificioprimo.com.br)