Blog


Blog do Empreendedor
O cotidiano de empreendedores como você
Twitter Facebook Orkut
Aumentar texto Diminuir texto

Inovação também se faz lendo

23 de fevereiro de 2017

Inovar é preciso. Para um empreendedor essa é uma afirmação intrigante, afinal, empreender implica em inovar sempre, mas como fazer isso? Numa definição simples, há diversos tipos de inovação, por exemplo: incremental: que contribui para melhorar produtos, serviços ou processos já existentes; disruptiva: geralmente ligada à criação de novos modelos de negócios; radical ou revolucionária: normalmente relacionada à criação de novas tecnologias.

Para quem quer inovar, um bom começo é buscar conhecimento, tanto do seu segmento de negócio – mercado, concorrentes, etc – como do próprio tema inovação. Diante disso, a proposta aqui é trazer sugestões de livros que contribuam para o conhecimento sobre inovação e também instiguem os leitores a buscarem por novas formas de inovar.

O livro “O Dilema da Inovação” (no original  “The Innovator’s Dilemma”) de Clay Christensen é um clássico de 1997 que apresenta a inovação disruptiva como aquela que pode tomar de assalto uma indústria quando os líderes de mercado não a valorizam a tempo. Os exemplos do livro já não são tão atuais, mas são muito verdadeiros. Na área da tecnologia, por exemplo, uma empresa que não entende as mudanças de hábito pode ser facilmente ultrapassada. A Nokia viveu isso na pele; a empresa criou um protótipo com a tecnologia touchscreen muito antes da Apple, porém não o colocou no mercado por acreditar que a melhor estratégia não era lançar um produto novo, mas atender à crescente demanda por celulares comuns que existia na época.

Outra indicação de leitura muito interessante sobre inovação é “Os Inovadores” (no original  ”The Innovators”) de Walter Isaacson – escritor da biografia de Steve Jobs e Benjamin Franklin, entre outros. Nesta obra ele apresenta uma “biografia” da inovação, tomando por base a história de vários inovadores que na prática fizeram a revolução digital. A partir do século 19, Isaacson faz referência às primeiras tentativas de se criar automação, máquinas de cálculos e tarefas repetitivas até a história da computação como nós a conhecemos. O livro destaca não apenas o trabalho individual de cada inovador, mas como suas ideias colaboraram umas com as outras ao longo do tempo. São contadas histórias bem sucedidas e também exemplos de fracassos. Nesses casos, um padrão comum são empresas que não souberam traduzir seus conceitos em produtos com apelo de mercado.

Esses são apenas dois exemplos de leituras inspiradoras para quem deseja inovar. É claro que para lançar e gerenciar um negócio não é essencial ler esse tipo de literatura, mas ela é válida pois nos faz refletir. É possível extrair também ideias práticas para aplicação no próprio negócio. Não se trata de copiar ou se basear inteiramente na experiência alheia, mas, observar aquilo que há de mais importante para ser aplicado em sua própria realidade.

Stelleo Tolda é COO (Chief Operating Officer) e co-fundador do Mercado Livre.