Blog


Blog do Empreendedor
O cotidiano de empreendedores como você
Twitter Facebook Orkut
Aumentar texto Diminuir texto

Growth hacking explicadinho

10 de agosto de 2015

Prática exige criatividade e inteligência no uso das ferramentas de marketing digital para acelerar conquista de clientes e crescimento do negócio

Dois homens estão acampados na floresta e notam que um leão se aproxima.

Um coloca os tênis rapidamente enquanto o outro pergunta:

- Por que colocar o tênis? Você acha que vai correr mais que o leão?

O um responde:

- Não preciso correr mais rápido do que o leão. Preciso correr mais que você.

***

Essa história busca ilustrar que, muitas vezes, para sobreviver não é preciso enfrentar o leão, mas ser mais rápido que o  concorrente. No mundo das startups, esse desafio tomou contornos próprios. Na maioria das vezes é preciso adotar estratégias criativas para crescer rápido. Num mundo cada vez mais conectado, copiar modelos de negócio se tornou uma prática comum para todos que lançam uma novidade. Já foi assim com as compras coletivas, com os aplicativos de táxi – e até no ramo de alimentos isso acontece, como nos mostram os exemplos das paleterias mexicanas e dos brigadeiros gourmets.

Para uma startup conseguir crescer rapidamente, na maioria das vezes com recursos financeiros limitados, é preciso criatividade e o uso adequado das ferramentas digitais para atração e conversão de clientes. Essa busca por alternativas de aquisição e manutenção de clientes de forma acelerada é o que vem se chamando de growth hacking. Numa tradução livre poderia ser “descobrir formas de crescer rápido”. Nesse caso, a expressão hacker está sendo usado na sua melhor interpretação, que é do indivíduo que é obstinado pelo conhecimento e pela busca por descobrir como fazer funcionar.

Alguns alunos perguntam:  Mas growth hacking não é um novo nome para marketing? Afinal não é função do marketing conquistar e reter seus clientes? A resposta é que o growth hacking pode sim compartilhar das tarefas que são do marketing – mas exclusivamente aquelas que dizem respeito a CRESCIMENTO. Ao profissional growth hacker, apenas uma métrica importa: conquistar mais clientes – gastando o mínimo possível. Mas ele não se limita a divulgação, se for preciso ele deve interferir no desenvolvimento do produto (pois como a startup ainda está buscando confirmar seu modelo, sempre é tempo de fazer ajustes para atender/superar as expectativas do cliente).

A caixa de ferramentas do growth hacker inclui muitos termos que são já familiares aos profissionais do mundo digital, mas um pouco distantes do não iniciados.

- SEO – Search Engine Optimization – São todas as ações que visam melhorar a visibilidade dos ambiente digitais na busca orgânica (não paga) do Google e de outros sistemas de busca.  Tem a ver com o formato do conteúdo publicado e a definição dos metadados  sobre as informações disponíveis na página.

- SEM – Search Engine Marketing – Tem a ver com o uso de todas as ferramentas pagas de anúncio digital, seja Google Adwords, Facebook Ads, links patrocinados, entre outros.

- Marketing viral -  ações e estratégias para que os próprios usuários compartilhem o conteúdo criado por você.

- Marketing automation – ações e ferramentas que buscam automatizar respostas em diferentes canais (site, sms, aplicativo, totem de autoatendimento) visando indicar ao cliente ofertas e condições especiais.

- Email marketing – bom uso do email para vender, anunciar novidades, promover engajamento.

- Content marketing – produção e remix de conteúdo de qualidade, no formato adequado para seu público, de forma a gerar interesse por sua marca, produto ou causa.

Ao conhecer mais do assunto, é possível perceber que não é preciso ser uma startup para aproveitar-se da caixa de ferramentas do “profissional do crescimento”. Qualquer negócio pode usar essas estratégias para vender mais. Da mesma maneira, também podemos constatar que para “vencer esse leão” não basta apenas calçar o tênis e correr (como fez o personagem da nossa história). É preciso muito conhecimento sobre as técnicas, coleta e interpretação de dados, muita curiosidade e criatividade, além de uma boa dose de ousadia para gerar diferenciais que garantam a taxa de crescimento do negócio precisa.

Para quem se interessar pelo assunto e quiser treinar o inglês, sugiro que acompanhe http://twitter.com/GrowthHackers onde sempre tem novidades, casos e ferramentas relacionadas ao tema.

Para saber mais sobre marketing, inovação e empreendedorismo acompanhe @menta90 no twitter e www.facebook.com/menta90. Marcelo Pimenta escreve às segundas-feiras no Blog do Empreendedor.

 

Deixe um comentário: