Blog


Blog do Empreendedor
O cotidiano de empreendedores como você
Twitter Facebook Orkut
Aumentar texto Diminuir texto

Era uma vez Nokia, Orkut, Second Life, Fotolog, Flickr, Flogão, HpG…

17 de novembro de 2017

Parece ontem…

Todos os dias, 900 milhões de pessoas negociam, fofocam, flertam, riem, gritam e choram em um Nokia. Um dia, nos próximos meses, um Nokia irá chegará às mãos do seu bilionésimo cliente. McDonald´s e Coca-Cola podem alegar que têm mais clientes, mas a experiência que eles oferecem é um pouco mais transitória. Você não sai de casa sem o seu telefone. Se julgar uma marca pela sua influência ou alcance, Nokia pode ser a marca mais bem sucedida na história” – assim começava a reportagem sobre a celebrada empresa finlandesa em uma importante revista norte-americana de negócios.

Naquele momento, o Orkut rumava para alcançar 40 milhões de usuário só no Brasil, colocando o país como o principal no mundo nesta rede social. Sem medo de ser feliz, mais de seis milhões de brasileiros ficavam dormindo no grupo “Eu Odeio Acordar Cedo” e outros mais de três milhões e meio de pessoas se divertiam no grupo “Deus me disse: desce e arrasa!”. O Orkut ainda reunia milhões de brasileiros em grupos como “Eu abro a geladeira para pensar”, “Queria sorvete, mas era feijão”, “Odeio esperar resposta no MSN”, “E INCOMODO?? Que peeena !!!”.

Mas o Orkut era para zoar com os amigos, rede social high tech mesmo era o Second Life e o Brasil era o quarto maior mercado na rede social de realidade virtual. Você criava um avatar e poderia visitar diversos ambientes se o seu processador e sua internet discada ajudasse e participar de eventos como aulas e palestras e além de poder fazer transações comerciais pagando em Linden dólar (L$). O SL era o futuro e muitas grandes empresas, bancos, universidades e até igrejas pagaram para ter suas versões na segunda vida.

O Brasil também era muito importante para o Fotolog. Como o Google limitava a publicação de fotos no Orkut, a rede social de imagens cresceu rapidamente. Neste momento, mais de três milhões de brasileiros, cerca de 26% do total de internautas (sim, utilizava-se este termo) publicavam dezenas de fotos diariamente no Fotolog. Diante do sucesso do Fotolog ao redor do mundo, o Yahoo! decidiu fechar seu Yahoo! Photos para apostar todas as fichas no Flickr, startup que tinha comprado dois anos antes por US$ 25 milhões. Mas para cada startup de sucesso, havia um clone brasileiro e este era o papel do Flogão, que se autodenomiva “O Fotolog do seu jeito”.

Enquanto as redes sociais faziam muito sucesso entre os brasileiros, havia uma ótima concorrência entre os provedores de páginas web grátis. O Brasil representava o quinto maior mercado para o Geocities, que havia sido comprado pelo Yahoo! por inacreditáveis US$ 3,57 bilhões e diante do seu sucesso. Na briga por este espaço, iG havia comprado o HpG, a Globo havia lançado o kit.net e os fundadores do HpG, retornaram com o XpG.

E o MSN reinava absoluto no Brasil. Entre os cerca de 40 milhões de pessoas com acesso à internet, 30,5 milhões utilizavam o MSN para trocar mensagens e economizar nos torpedos, colocando o país na primeira posição mundial.

Mas tudo isto foi em 2007…  ¯\(°_o)/¯

Marcelo Nakagawa é Professor de Inovação e Empreendedorismo do Insper