Blog


Blog do Empreendedor
O cotidiano de empreendedores como você
Twitter Facebook Orkut
Aumentar texto Diminuir texto

De onde vem o otimismo do comércio online?

15 de fevereiro de 2017

Já há alguns anos os resultados do e-commerce no Brasil mostram esse setor na contramão da crise pela qual vem passando o país, principalmente nos últimos três anos. E isso é fato. Mesmo com alguns players registrando uma margem de crescimento menor, o comércio online está entre os poucos segmentos que seguem avançando. Mas, afinal, o que move esse motor?

Além dos grandes e-commerces há também milhares de micro, pequenos e médios empreendedores que fazem essa roda girar e que, segundo pesquisa realizada pelo Sebrae e pela E-Commerce Brasil em 2016, representam 90% das lojas em atividade. Uma importante parcela representada por típicos brasileiros que não desistem nunca; homens e mulheres determinados a fazerem seus negócios darem certo. A atuação desses empreendedores no marketplace mercadolivre.com é muito representativa e, por isso, já há três anos realizamos uma pesquisa, em parceria com o IBOPE Conecta, para conhecer seus resultados e perspectivas sobre os negócios online que realizam dentro e fora da nossa plataforma.

Desde 2015, primeiro ano da pesquisa, a maioria se mostra otimista. Na edição 2017, realizada no mês passado, dos 512 empreendedores MPMEs (Micro, Pequenas e Médias empresas) entrevistados em todo o Brasil, 77% declararam haver crescido suas vendas online em 2016, registrando um aumento médio de 41% frente a 2015. Outros 20% afirmaram não haver registrado crescimento e 3% não souberam responder. Sobre as perspectivas para 2017, 94% dos entrevistados esperam crescer seus negócios online a uma média de 35%.

Até mesmo a confiança desses empreendedores no país está acima da média da população brasileira. Enquanto o índice de Confiança Social medido pelo IBOPE está em 50 pontos, o dos vendedores online entrevistados alcançou 73 pontos. Esse “Índice de Confiança Social” é um estudo contínuo realizado pelo IBOPE. Por meio de pesquisa quantitativa, com questionário aplicado face a face, o instituto realiza um cálculo que gera um índice padronizado sobre o grau de confiança do brasileiro frente às instituições, organizações, pessoas e grupos sociais do país. Este foi o primeiro ano que essa pesquisa com os empreendedores online levantou essa questão. As expectativas são boas também quando o assunto é novas contratações. Ao contrário do ano anterior, os empreendedores se mostram mais dispostos a aumentar suas equipes em 2017. Na pesquisa realizada no início de 2016, 37% planejavam realizar contratações – percentual que passa para 48% nas expectativas para este ano. A parcela de entrevistados que não pretendia contratar em 2016 (27%) passa, em 2017, para 20%. As que não sabem responder passam de 37% para 32%.  Apesar disso, as equipes se mantêm pequenas: 59% possuem até três funcionários; 9%, de quatro a cinco; 8%, mais de seis; e 25% são empresários que trabalham sozinhos.

Enfim, olhando esses números não é difícil responder à pergunta proposta no título deste artigo: De onde vem o otimismo do comércio online? Da energia e da garra dos micro, pequenos e médios empreendedores brasileiros que atuam no setor, sem sombra de dúvida. Que outros setores se contagiem!

Stelleo Tolda é COO (Chief Operating Officer) e co-fundador do Mercado Livre.