Blog


Blog do Empreendedor
O cotidiano de empreendedores como você
Twitter Facebook Orkut
Aumentar texto Diminuir texto

A busca da vida longa e próspera de uma empresa

5 de novembro de 2015

Um grande amigo me deu de presente, uns bons anos atrás, o livro Os Ciclos de Vida das Organizações, de Ichak Adizes. Este livro foi transformador na minha jornada de empreendedor e quero compartilhar com você um pouco deste que foi, e continua sendo, meu manual de escoteiro-empresário-mirim.

Eu já trabalhava de forma incipiente na fabricação de massas artesanais em Porto Alegre em 2005, onde morava na época, quando recebi a visita deste amigo de São Paulo, que gostou do que eu estava fazendo com meu negócio e me entregou o livro, dizendo que ele poderia aprimorar e apoiar o crescimento de minha empresa.

O Dr. Ichak Adizes é um sobrevivente dos campos de concentração nazistas que migrou aos Estados Unidos onde desenvolveu, ao longo dos últimos 45 anos, um método bastante original de diagnosticar e ajudar empresas, governos e organizações no crescimento e solução de problemas.

O trabalho realizado por Adizes é tão importante que se espalhou ao redor do mundo, e ele foi considerado um dos 30 maiores pensadores dos Estados Unidos, apesar de ainda ser um quase desconhecido no Brasil. Espero ajudar a que mais pessoas tenham acesso a este conhecimento.

Acompanhe um vídeo gravado no TEC em 2014 aqui e também convido a todos a visitar a página do Instituto Adizes no Brasil.

O bacana do método Adizes, e o que torna ele muito próximo de qualquer um de nós, é que ele compara a vida de uma organização, de uma empresa ou de qualquer empreendimento, com a vida uma pessoa: temos ciclos que são previsíveis ao longo do caminho, e assim podemos nos preparar adequadamente para cada momento.

Namoro, nascimento, infância, adolescência, plenitude e velhice são alguns dos sugestivos nomes destes momentos. Identificar em qual fase a empresa está ajuda a aceitar os problemas de cada etapa e prepara o fundador e sua equipe a se comportar adequadamente para o conflito que decorre da necessidade de mudanças constantes e adaptações.

Uma ideia libertadora é justamente aceitar que o gerenciamento de uma empresa, assim como na vida de uma pessoa, será sempre resolver problemas, lidar com as mudanças, com a instabilidade e a fragilidade da vida. Uma empresa sem problemas, sem desafios, é certamente uma empresa morta.

Serve para empresas grandes e também para um pequeno empreendedor como eu, e certamente é muito instrutivo para quem está pensando em iniciar um negócio.

Um dos pontos constantemente abordados por Adizes é a forma como as pessoas se relacionam entre si em cada etapa, como trabalham em equipe e como tomam decisões.

De fato, fica evidente que é preciso mais do que apenas a vontade e o capital para uma empresa dar certo. Ter sucesso numa etapa não garante o sucesso na outra e pode provocar a morte prematura. É necessário ter uma equipe formada por talentos complementares e lideres com visão holística e periférica.

Aqui aparece outra capítulo muito interessante da metodologia Adizes, que é a forma como as pessoas podem ser classificadas em 4 estilos de gerenciamento:

P – produtor – estão sempre ocupados, e entregam resultados, tem foco, fazem a empresa funcionar. Preferem trabalhar a participar de reuniões. Não tem tempo para planejamento, e preferem trabalhar sozinhos para não perder tempo. Quer algo feito? Entregue a um Produtor!

A – administrador – sentem enorme alegria em organizar, criar sistemas e procedimentos. Seguem padrões e gostam que os demais também sigam. Se não temos regras, eles irão fazer as regras. Precisa de algo organizado? Entregue a um Administrador!

E – empreendedor – são os pensadores, os tomadores de risco. Criam e desenvolvem ideias em cima de uma visão de futuro. São entusiasmados e estão sempre em movimento. Precisa começar algo novo? Entregue a um Empreendedor!

I – integrador -  aproximam as pessoas e ajudam que se sintam envolvidas com o projeto. O foco está em manter a cultura da empresa em movimento e ajudar que todas as partes trabalhem juntas em busca do objetivo. Necessita resolver uma situação de conflito? Entregue a um Integrador.

Reconheceu alguém perto de você? Eu sim! São as pessoas de minha equipe!

Adizes afirma, e eu concordo plenamente, que cada um de nós é uma combinação das 4 características, porém onde se destacam apenas um ou dois dos perfis descritos acima, e que são determinantes. Raramente alguém tem os 3 talentos preponderantes e provavelmente ninguém tem os 4 estilos igualmente desenvolvidos.

Ou seja, eu posso ter um estilo forte e marcante em E (empreendedor) e I (integrador), pequeno em A (administrador) e médio em P (produtor). E isso é totalmente normal. Conhecer qual o próprio estilo é fundamental para ter confiança nos pontos fortes e procurar ajuda nos pontos fracos.

Fica então minha dica: o método Adizes é uma ferramenta que pode aumentar as chances de vida longa à empresa, o que no Brasil, cá pra nós, é uma missão nível Jedi.

Pensando bem, hoje em dia o Dr. Ichak Adizes faz muita falta no Brasil em todas as áreas.

Ivan Primo Bornes, fundador do Pastifício Primo, também é dedicado aluno da escola da vida.

1 Comentário Comente também
  • 06/11/2015 - 20:46
    Enviado por: Leo Levi

    Obrigado meu caro Ivan.

    Sua dica foi primorosa. Mesmo com todas as dificuldades com as quais nos deparamos dia-a-dia, tenho certeza de que seremos nós, empreendedores, a válvula propulsora desse país.

    Um sincero e forte abraço.

    responder este comentáriodenunciar abuso

Deixe um comentário: